Mentiras sinceras

A revista Super Interessante de agosto/2011, traz uma edição especial sobre comportamento humano entitulada “A ciência da mentira – um guia para entender lorotas, cascatas e outros escorregões da mente humana” (Saiba mais).

A reportagem defende que, em algumas ocasiões, mentir não só é necessário, como pode ser questão de vida ou morte. Ressalta que todos mentem e que diversas espécies, na natureza, recorrem a subterfúgios enganosos para garantir seu sucesso na luta pela sobrevivência.

Todo mundo mente em alguma hora. Pais mentem para filhos, funcionários para o chefe, cônjuges para parceiros… A verdade dói às vezes. Então uma mentirinha pode aliviar a barra. Na vida social, mais vale manter as boas relações do que ser honesto.

Mesmo assim, mentirosos ainda são muito mal vistos em nossa sociedade. Falta de espelhos, talvez?

Mas o que me chamou a atenção na matéria e me inspirou neste post, foram as diferenças entre as mentiras das meninas e dos meninos.

Primeiro fato interessante: os homens mentem, em média, o dobro das mulheres. São 6 lorotas diárias contra 3 do público feminino.

Nós, mulheres, tendemos a mentir para fazer os outros se sentirem bem e para evitar coisas ou situações que consideremos impróprias ou desagradáveis. Mentimos sobre orgasmos no “foi bom pra você”, inventamos dores de cabeça, negamos até a morte termos mexido nas coisas de nossos namoridos, e jamais, jamais jogamos fora nada deles, nem aquela horrorosa cueca furada de estimação.

Não surpreende que a mentira nº1 das meninas seja sobre o número de parceiros sexuais durante a vida. A “rodagem” das moças ainda assombra a mente machista de nossos meninos. Chocante é saber que 27% delas mente sobre a paternidade de seus filhos!!!

E os meninos, por que mentem?

Oras, pelo mesmo motivo que se esforçam a ganhar dinheiro, compram carrões, vão à academia… sexo, sexo, sexo!!! Sexo e suas implicações. São em sua grande maioria pequenas lorotas que têm como finalidade ludibriar incautas para arrastá-las à alcova, engambelar a titular quando tem outra na jogada e impressionar os amigos com seus feitos mirabolantes.

Não é surpresa que os homens sempre mintam quando acreditam que o castigo por contarem a verdade será tão pior quanto se forem descobertos mentindo. Se colar, beleza. Se não, a verdade já ia doer, mesmo… Aí ouvimos “ela é só minha amiga”, “claro que eu nunca te traí”, “tomei só um choppinho e vim embora”, “imagine, não está gorda não!”. Relativamente perdoável, não acham?

Sejam quais forem os motivos que levam homens e mulheres a mentirem, a verdade é que, mentir, muito mais que uma falha de caráter, é uma questão de sobrevivência. Sem a mentira, certamente a vida em sociedade sofreria um colapso. Quem é sincero o tempo todo maltrata, ofende e não é querido.

E para entender isso, basta que você, caro leitor, se imagine falando a verdade sobre tudo o que pensa para todas as pessoas que conhece. Sobraria alguém ao seu lado?

Edição e revisão Ricardo Flausino, autor do blog Crônicas do Absurdo

2 Comments to “Mentiras sinceras”

  1. Eu minto mesmo e não estou nem aí. Há! =)

  2. Reblogged this on Pieces of a mind and commented:

    Em homenagem ao 1o. de Abril.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: