O trânsito de São Paulo me irrita. (Muito!)


Poucas coisas são capazes de enlouquecer uma pessoa com tanta rapidez e eficiência quanto os congestionamentos. Ficar parado por longos períodos, no mesmo lugar, enclausurado dentro de um veículo, faz com que você pense sobre muitas coisas. Inclusive sobre as causas de você ficar parado por longos períodos.

A realidade de boa parte dos moradores das grandes metrópoles é essa. Perder horas de seu dia, já tão escassas, parados (ou quase isso) em longos congestionamentos, buscando chegar à seus destinos da maneira mais rápida e indolor possível.

Recentemente li um texto sobre esse assunto no blog Crônicas do Absurdo que me fez refletir sobre os muitos obstáculos que enfrentamos em um dia no trânsito de São Paulo.

Ao sair da garagem de casa com o carro, a primeira dificuldade que encontramos é a de conseguir passagem pra que possamos nos incluir na interminável dinâmica do tráfego. Desse momento em diante, prepare-se para toda sorte de surpresas.

Você vai se deparar com motoristas que andam abaixo da velocidade média necessária pra que você não tenha vontade de passar com o seu carro por cima do deles.

Com motoristas que compraram carros caríssimos e que, portanto, não puderam pagar pelo adicional supérfluo chamado seta. Eles trocam de faixa para qualquer lado e, a qualquer momento, podem virar à esquerda ou à direita sem aviso prévio. E você precisa utilizar com freqüência a sua bola de cristal para não bater em nenhum deles.

Existem também os motoristas que estão com mais pressa que todos os outros, provavelmente porque precisam buscar suas respectivas mães na casa de prostituição onde trabalham, e que, por isso, tem o direito de trafegar pelo acostamento das grandes avenidas e viadutos.
Ou a criar uma fila adicional imaginária de conversão nos acessos à retornos e afins. Pela demarcação do asfalto, existem uma ou duas faixas, mas é claro que ele não pode respeitar a fila e esperar.
Eles também têm o direito de pegar a contramão pra poder entrar na frente de todos os otários que estão na fila aguardando sua vez de pegar o acesso à avenida que pretendem. Perfeitamente compreensível dado o fato de que o puteiro tem um horário muito rígido pra devolver mães de motoristas.

O trânsito te ajuda a descobrir também que ligar a seta quando você pretende trocar de faixa, é absolutamente contra a lei num reino chamado Motoboyland. No exato segundo em que você a aciona, mesmo sem sair 1 cm do lugar, dezenas de motos vão buzinar pra você e alguns dos pilotos das mesmas vão acenar com o braço, demonstrando sua imensa insatisfação com a sua intenção. É necessário rezar muito e rogar à Deus para que eles permitam a sua transição. Tenha fé!

Tão divertido quanto o restante são os pedestres e ciclistas que brotam do chão na frente do seu veículo, vindos do além, e que exigem que você utilize todo seu talento e maestria para não passar com seu carro por cima de seus preciosos corpos.

Igualmente agradável são os motoristas que pagam 2 IPVA´s por seu carro, o que lhes permite andar em duas faixas ao mesmo tempo. E não, você não pode buzinar, nem dar farol pedindo que eles te dêem espaço pra passar, já que por pagar o dobro em impostos, eles são donos da rua.

Eu poderia continuar por horas, dando exemplos de comportamentos egoístas que afetam o todo e contribuem consideravelmente para que os congestionamentos fiquem cada vez maiores e mais insuportáveis. Pessoas que fecham cruzamentos, que furam o farol vermelho, que enfiam o carro em qualquer fresta pra passar na frente dos outros, que param encima da faixa de pedestres etc.

Fato é que as autoridades não demonstram muita preocupação com a educação, cidadania e nem mesmo com a saúde mental de sua população de motoristas. Nem a de melhorar o transporte coletivo na cidade pra tentar diminuir o número excessivo de veículos nas ruas. Só nos resta mesmo nos conformar e tentar não matar ninguém durante o percurso. Todos os dias. Seria engraçado se não fosse, literalmente, trágico.

Mas se você se sente frustrado, revoltado, inconformado e já desejou que uma bomba explodisse a rua ou um meteoro caísse do céu, acabando com as vias da sua cidade e com os motoristas que nelas estão, só pra dar um fim ao seu sofrimento, saiba que você não está sozinho. Somos muitos. o/

Para quem tiver curiosidade em ver como é esse trânsito (num dia bom, de sol) em uma das mais movimentadas vias de São Paulo, a via expressa da Av. das Nações Unidas (Marginal Pinheiros), às 6h30 da manhã de um dia qualquer, segue abaixo:

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: